A Imagem do Cirurgião

A Imagem do Cirurgião

O mercado de cirurgias estéticas e corretivas possui regras diferenciadas e delimitadoras no que diz respeito a formas de divulgação de profissionais ou empresas, estando eles(as) impedidos de anunciar comercialmente seus produtos ou serviços sob pena de descumprimento do código de ética da categoria. Tais artigos incluídos no código da medicina visam, em primeiro lugar, proteger todo e qualquer cidadão que venha necessitar de atendimento, assegurando a consistência das informações transmitidas através dos veículos e também assegurando a integridade do atendimento e das formas de abordagem saudáveis como um todo. Medicina não é, ou não deveria ser, um mercado e sim, uma linha de amparo, seja para a saúde física, mental ou estética, para que o ser humano possa seguir sua vida tranquilo de que suas necessidades serão atendidas por profissionais qualificados e éticos quando alguma emergência ocorrer ou quando tratamentos sejam necessários. Por este motivo, a grande maioria dos profissionais acaba conquistando pacientes apenas pelo clássico boca-a-boca, não atentando ao fato de que, através da construção da sua imagem, possuem a possibilidade de explorar diversas formas de exposição eticamente corretas, que, além de auxiliar as pessoas nas mais diversas formas, marcam o seu nome e a sua personalidade profissional sem necessariamente incorrer em anúncios comerciais ou métodos convencionais de divulgação que ferem a ética da profissão.

A construção da imagem pessoal para profissionais de todas as áreas que, mesmo sob o teto de uma pessoa jurídica, exigem, além da empresa, um valor agregado individual da pessoa física (como médicos, advogados, jornalistas, etc) é de extrema importância, mesmo que o profissional esteja atrelado ao corporativismo, fomente a sua imagem, pois estes tipos de ofícios que exigem a apresentação pessoal, seja para executar ou seja para supervisionar ou ainda assinar, deve ser realizada por etapas, começando na base da decisão pela profissão.

Muitos profissionais passam a se preocupar com este assunto apenas em momentos de necessidade, após anos de carreira, porém, quando o trabalho constante é realizado, por conta própria ou assessorado por alguém do ramo de imagem pessoal e profissional, desde a entrada do indivíduo no mercado em questão, aumentam as possibilidades de reconhecimentos futuros. Isso não inviabiliza de maneira alguma que profissionais já renomados em suas alçadas em razão do belo trabalho realizado possam, em qualquer etapa da carreira, começar a trabalhar sua imagem de maneira mais objetiva e expoente. No entanto, cabe ressaltar que após anos de execução da sua profissão, uma análise estratégica da vida profissional pregressa do indivíduo deva ser levada em consideração, para que tanto o profissional, quanto o consultor ou assessor possam, com segurança, elaborar estratégias de imagem para a divulgação do seu conteúdo próprio e da sua imagem pessoal e profissional da maneira mais produtiva e ética possível, sem receio de inserir publicamente seu conteúdo e a sua imagem reforçada ou reformulada.

Há mais ou menos dois anos, ao ficar encarregado da direção de arte e arquitetura de informação do projeto de site de um cirurgião plástico, a pedido de uma agência de publicidade do Rio de Janeiro, estudei a fundo o mercado e o que se via na época eram sites genéricos, com cores semelhantes, que ora se assemelhavam a clínicas médicas apenas, ora se assemelhavam a salões de beleza. A semiótica e a psicologia das cores simplesmente era descartada em prol de clichês que o próprio mercado, sem assessoria, criou sem diferenciar de maneira alguma um profissional do outro. Na época, a responsividade (adaptação do veículo digital a qualquer dispositivo, seja móvel ou desktop) ainda não era cobrada em massa pelos usuários e neste quesito os sites se apresentavam satisfatórios, porém, em termos de conteúdo, layout e cuidado estético, não passavam de “ctrl+c”, “ctrl+v” um do outro. O usuário, em uma pesquisa, poderia decidir apenas entre um profissional que vê o seu negócio como um mercado estético, ou um profissional que vê o seu mercado como saúde (de acordo com a apresentação visual dos sites). Não existiam muitos sites pessoais focados na imagem ou conteúdo dos profissionais (objeto do meu estudo), apenas sites de clínicas. Os poucos profissionais que haviam encarado desbravar o ambiente digital possuíam sites que não representavam de maneira alguma uma personalidade ou seus princípios de trabalho, apenas recaíam ao senso comum já comentado anteriormente, ora voltado a estética, ora voltado à medicina, mas sem compilar os dois anseios visuais em uma única peça com conteúdo exclusivo que o diferenciasse dos demais.

Ao começar a escrever este artigo, voltei ao mesmo campo digital de pesquisas para avaliar a evolução deste mercado e para a minha surpresa, o mesmo não apresentou uma evolução de acordo com a evolução das tecnologias e necessidades do mercado contemporâneo. Em sua maioria, os sites não apresentam responsividade, ficando impossível visualizar a maioria em telas pequenas de celulares de maneira satisfatória. O mesmo problema de cores e estilos encontrado há anos atrás permanece. Ora estamos visualizando um site puramente de medicina, ora puramente estética, sem o amadurecimento necessário que o mercado exigiu nos últimos anos, tanto em relação a layout e abordagem, quanto em relação a conteúdo.

Nas próximas linhas, procurarei dissertar sobre soluções viáveis dentro da ética da categoria para que profissionais do ramo medico-estético-corretivo possam, com auxílio de um consultor de imagem estratégica ou não, apresentar uma evolução no sentido de expor seu conteúdo e seus serviços de maneira satisfatória, sem o perigo de incorrer em clichês, equívocos e problemáticas envolvendo a ética e os bons preceitos da profissão.

 1 – Aspirante, comece agora!

É muito comum, como citei na introdução, profissionais de todas as áreas se preocuparem em trabalhar sua imagem individual apenas após vários anos de carreira, geralmente quando essa necessidade se apresenta após estar atrelado à várias empresas, tendo que começar do zero a consolidar sua imagem profissional própria. Mesmo com 10, 20 anos de experiência e prática, o profissional acaba tendo que se submeter a falta de conhecimento do público para com a sua pessoa, recomeçando os passos do início da carreira. Começando a se preocupar durante a formação ou ainda antes de iniciá-la, uma vez decidida a carreira a seguir, ao final da formação, o profissional terá uma evolução documentada e uma imagem próxima da consolidação, antes mesmo de entrar a fundo no mercado de trabalho, facilitando assim a aquisição de cargos em grandes empresas ou até mesmo a abertura da sua clínica.

2 – Tenha um site pessoal

Mesmo atrelado à uma empresa, associação ou clínica, é muito importante que o profissional possua uma referência própria onde possa expor seus princípios e opiniões, conteúdo, seu currículo e seus avanços na carreira. Sempre dando prioridade à responsividade, pois hoje em dia site não é algo destinado ao computador e adaptado a outros dispositivos. Um site deve se ajustar e se comportar de maneira automatizada e coerente com o dispositivo escolhido pelo usuário para acessá-lo. Com um site acessível por tudo e com conteúdo a oferecer, independente do local em que trabalhe, sua imagem e, consequentemente, seu alcance, não se limitarão aos espaços corporativos e desbravarão o ambiente online.

3 – Redes sociais

Uma (ou mais) rede social bem administrada, atualizada e acompanhando os passos do profissional sempre será de muita utilidade para a fidelização do seu público atual. Em uma rede social é possível uma comunicação instantânea, onde o usuário pode tirar dúvidas sobre o ramo e sobre o seu trabalho. Inclusive marcar consultas. O conteúdo deve ser coerente com o seu conhecimento, pois usuários terão dúvidas e saberão identificar respostas genéricas ou respostas interessadas.

4 – Faça vídeos

Vídeos são essenciais para marcar uma imagem. Um canal no Youtube bem diagramado de acordo com a imagem que se pretende transmitir, oferecendo uma linha de coerência nos assuntos abordados e mostrando conhecimento e disposição em interagir, certamente atrairão a atenção de quem se interessa pelo assunto. Os vídeos são uma ótima maneira visual de marcar sua a imagem, mas também deve-se ter o cuidado para transmitir, na edição, enquadramento e cuidado estético, a imagem pretendida. Se você quer passar uma imagem de pessoa ocupada, que está sempre na correria, porque sua vida é ir de um compromisso ao outro, vídeos com formato mais amador podem ser muito úteis. Por exemplo, uma série de vídeos no carro explicando assuntos que enfrentou no dia a dia. Se você quer passar uma imagem de cuidado mais exclusivo e individual, com mais tempo a dedicar, um vídeo mais bem editado, com alguma trilha sonora e formato televisivo convencional pode vir mais a calhar. É tudo uma questão de análise de objetivo e produção de conteúdo coerente com os objetivos, utilizando as ferramentas de edição para se transmitir a imagem desejada.

5 – Foco

Após definir todos os canais de comunicação, foque em assuntos que você domina. Todas as profissões possuem infinitos assuntos a serem abordados e várias posições a tomar sobre o mesmo assunto. Seja coerente no seu conteúdo e selecione apenas os que você domina. E estude cada vez mais ele. Seja mestre no que fala e tenha opiniões formadas. Certamente as pessoas lhe respeitarão pelo que você sabe (e mostra que sabe).

6 – Queira ajudar

Não por interesse em adquirir pacientes, mas para disseminar conhecimento e sanar as dúvidas e necessidades das pessoas. A internet não é um lugar de pessoas inocentes. Elas saberão quando você apenas quer aparecer e tirar proveito do espaço conquistado ou quando você realmente se preocupa com o público. E quando você realmente se importa com as pessoas, interage de maneira prestativa e mostra a que veio, não há necessidade de agir por interesse, pois o retorno apesar de ser um pouco mais demorado, é sólido e consistente.

7 – Escreva e-books e disponibilize gratuitamente

Esclarecendo, explicando, disseminando seu conhecimento. E-books são uma ferramenta ótima para espalhar a sua imagem e seu conhecimento sobre determinado assunto, além de ser uma documentação respeitável. Transmite a imagem de um profissional prestativo, que dispôs do seu tempo livre para oferecer um conteúdo sério e em um formato organizado e, além de tudo, uma série de e-books bem planejada e elaborada, é um ótimo portfólio de registro do seu conhecimento.

8 – Faça Podcasts

Podcasts são uma ótima opção para marcar presença de maneira mais prática (com um celular na mão e alguns minutos você tem uma edição pronta, depois basta fazer upload nas plataformas de podcast e publicar o link nos seus canais e redes). Para ouvir, as pessoas não necessariamente tem que parar para assistir como um vídeo. Diversas plataformas de podcast possuem a opção de seguir, avisando os seguidores quando uma nova edição está pronta. Assim eles podem ouvir no celular ou no computador enquanto seguem com seus afazeres, além de exigirem menos preparação que os vídeos. Uma ressalva é que, diferente do vídeo, onde temos a edição e a imagem ao nosso favor, nos podcasts, por ser apenas áudio, o conteúdo deve ser robusto do início ao fim, sem longas introduções.

9 – Responda, responda, responda!

Imagine que você está dando uma palestra, alguém levanta a mão com uma dúvida e você simplesmente ignora o espectador. Comentários na internet são a mesma coisa. Você já definiu os canais. Mas de nada adianta você definir canais de comunicação se não suprir as expectativas de interatividade. Comentários positivos, negativos, dúvidas inteligentes ou corriqueiras, todos. Não ignore nenhum e fomente este canal de comunicação.

10 – Tenha um acompanhamento profissional

Faça o que você estudou para fazer. Assim como um paciente seu necessita de um acompanhamento profissional, antes, durante e depois do processo cirúrgico, você também, idealmente, precisa de um acompanhamento profissional. O padrão de processos de uma consultoria ou assessoria em imagem estratégica é muito semelhante ao de áreas da medicina: É necessário diagnosticar e avaliar a situação de acordo com as necessidades do paciente e não necessariamente seguir o que ele acredita que precisa. É preciso avaliar se o que o paciente acredita que precisa, em questões estéticas, é realmente o que é necessário para o problema que deseja resolver.

Também é preciso identificar se é necessário apenas corrigir algum ponto ou reformulá-lo por completo. Se a aparência estética pretendida é realmente a que as limitações estruturais e objetivos comportam, entre outras análises.

E sim, é possível executar tudo sem essas preocupações ou sem o conhecimento técnico para analisar, porém, como na cirurgia estética ou corretiva, os resultados não serão 100% satisfatórios (vide exageros estéticos que resultam em danos irreparáveis para o paciente ou resultados finais de aparência totalmente descaracterizadas por não ter sido respeitado o bom senso e a ética profissional).

Por isso, comece agora. Mas não comece de qualquer jeito. Uma consultoria prévia pontual para orientar os passos a serem seguidos e auxiliar no processo, a curto, médio e longo prazo, ou após, o acompanhamento periódico de uma assessoria no caso de necessidade, são fundamentais para que a imagem nasça, cresça e se consolide de maneira produtiva e eticamente correta, dentro dos princípios da profissão e utilizando o máximo de recursos que as estratégias de imagem e conteúdo e a tecnologia disponíveis possam oferecer para lhe aproximar do seu público.

Você deve se preocupar em produzir e aperfeiçoar o seu conteúdo. O profissional de imagem deve se encarregar de estudar, analisar e definir as melhores maneiras de utilizá-lo em prol do reforço e divulgação ética da sua imagem, corrigindo o que está errado, exaltando o que está certo e traduzindo de maneira que o público almejado receba de maneira compreensível.

Mário Pertile é especialista em Branding e presta Consultoria em Imagem Estratégica para empresas e profissionais autônomos. Também é autor do livro “Segredos para um Bom Logotipo – O que você precisa saber antes de contratar um designer” e que pode ser baixado gratuitamente no www.mariopertile.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *